quinta-feira, 1 de março de 2012

Caminhando com as Escrituras - Ficha I

Texto publicado no mês passado no Informativo "Redentor do Vale" da Paróquia São Sebastião de Coronel Fabriciano - MG. Espero que gostem!!!


Meus queridos amigos e amigas, luz e paz da parte de nosso Redentor para vocês e suas famílias!

A partir deste mês, nossa coluna ganhará um rosto mais formativo. Partilhando algumas coisas de meus estudos em Sagradas Escrituras, aprofundaremos um pouco mais nosso conhecimento da bela teologia presente nos textos sagrados. Como primeiro estudo, traremos alguns pontos importantes no esquema do evangelho de São Marcos. Esta escolha não é sem mais: estamos no ciclo litúrgico B e, durante o tempo comum, é este evangelho que será refletido em nossas comunidades nas celebrações dominicais.

Seguiremos um esquema de fichas de compreensão compostas por informações sobre o texto e perguntas para reflexão pessoal e/ou comunitária. Espero que este trabalho lhe ajude no crescimento e na compreensão da fé. Coloco meu e-mail disponível para qualquer dúvida que você quiser partilhar: dalbemcssr@gmail.com . Dentro do possível, responderemos nesta secção de nosso informativo paroquial. Que o Espírito Santo nos acompanhe sempre, doando-nos sua luz que abre nossas vidas para a experiência profunda do Mistério!

 

Ficha I: Qual a pergunta fundamental de Marcos?

 

O Evangelho de Marcos é o primeiro evangelho canônico[1] na ordem cronológica. Com alguma divergência, estudiosos afirmam que fora escrito por volta da década de 60 ou 70 do primeiro século da era cristã.

O evangelista tem como preocupação principal corrigir determinada visão sobre Jesus como o Cristo/Messias. É importante sabermos, desde já, que na fé de Israel, figuravam basicamente três imagens para o Messias: profeta, sacerdote e rei. Contudo, nenhuma delas se encaixava perfeitamente à pessoa de Jesus, uma vez que serviam apenas para reafirmar o sistema caduco vigente até então. Por exemplo, a visão do Messias da realeza compreendia que o esperado viria restaurar a monarquia em Jerusalém, libertando o povo do jugo romano, e faria Israel retomar o poder e o esplendor dos antigos tempos de Davi e Salomão. Contudo, ele não mudaria em nada o esquema marcado pelas divisões classistas e opressoras.

De maneira muito simples, o autor narra os fatos e a prática da vida de Jesus, não se importando tanto em responder com discursos teológicos de grande poder retórico. Desta feita, mostra o Reinado de Deus acontecendo na simplicidade dos tempos (Mc 1,15), alterando, a partir de dentro, as relações humanas: o poder é substituído pelo serviço, o comércio pela partilha, a alienação pela capacidade de ver e ouvir a realidade[2]. Assim, apresenta um Messias diferente das expectativas criadas pelos chefes e teólogos do povo. Mas que Messias é este? Esta é a pergunta que guiará os passos de São Marcos. No próximo mês trabalharemos esta questão. Até lá!

 

Questões para aprofundamento:

1.      Qual a imagem que faço/fazemos de Jesus?

2.      Deixamos Deus ser Deus em nossas vidas, ou queremos que ele se encaixe em nossas imagens pré-determinadas, dependentes de nossas carências?



[1] Por canônico entenda-se aquele que faz parte do cânon das Escrituras, ou seja, que compõe a nossa bíblia. Diversos foram os textos produzidos por comunidades específicas e pessoas ligadas a elas nos primeiros séculos. Contudo, nem todos foram reconhecidos pelo conjunto das comunidades como expressando sua fé comum. A estes outros textos classificamos de "apócrifos".

[2] Introdução ao Evangelho de Marcos. Bíblia Sagrada: Edição Pastoral. São Paulo: Paulus, 1990.


--
P.e Maikel P. Dalbem, C.Ss.R.

Nenhum comentário:

Postar um comentário