quarta-feira, 27 de julho de 2011

3º dia - Salmo 11: Encontrando no Senhor a alegria de seguir caminhando...

1.[ Ao mestre do coro. Na oitava. Salmo de Davi. ]
2.Socorro, SENHOR! Os bons estão acabando, está sumindo a lealdade entre os homens.
3.Falam mentiras uns com os outros, usam uma linguagem enganadora, de coração hipócrita.
4.O SENHOR exterminará toda boca mentirosa, e a língua que fala com arrogância,
5.aqueles que dizem: "Por nossa língua somos fortes, o que falamos está em nosso poder; quem é que manda em nós?"
6."Por causa da miséria dos pobres, por causa do gemido dos necessitados agora me levanto", diz o SENHOR; "levarei a salvação a quem a deseja".
7.As promessas do Senhor são sinceras, como prata refinada, sete vezes depurada.
8.Tu, SENHOR, nos proteges, para sempre nos livrarás dessa gente.
8.Os ímpios vagueiam por toda parte; e vai crescendo a vileza dos mortais.


Reflexão: Dois movimentos se fazem presentes neste salmo. Na primeira parte (vv. 2-5), o autor canta sua insegurança e desânimo diante da dureza da realidade em que ele habita. A segunda parte (vv. 6-8) expressa sua confiança na presença do Senhor.
Como este belo canto tem a nos ensinar para a vida! A realidade que nos rodeia, na maioria das vezes, aparece muito dura. Muitos acabam desanimando de viver a alegria da fé por conta deste quadro. Até mesmo para aquele que já faz seu caminho, a dureza das injustiças acabam por ferir o coração. Ver tanta fome, injustiça, falta de caridade, maldade, insensibilidades às vezes nos pesam. Pior, a dureza e insensibilidade de coração acabou sendo passada por determinada cultura como sendo a postura mais certa, normal. Viver as realidades de Deus hoje é, em grande parte, "contracultura".
Deus continua nos chamando para a vida. Ele continua fiel, guardando-nos na fidelidade. Seu amor não nos abandona. Em nossa liberdade, não fechar os olhos para a realidade, mas mantê-los abertos na certeza de que um outro caminho é possível. Jesus, o Filho, nos mostrou isso. Diante da dor e da massificação, assumir as belezas de Deus. Diante de uma cultura de morte, assumir a "contracultura" de Deus como caminho de vida para a humanidade. Encontrar em Deus a força para viver a liberdade responsável dos filhos. Cristo carrega a cruz conosco!

Oração: Pai, Jesus tantas vezes viveu a incompreensão e a dor de se sentir isolado pelas pessoas. Contudo, na fidelidade ao projeto de Amor que é o Reino, ele seguiu em frente, abraçando a cruz na fidelidade ao amor pela humanidade. Quando o caminho tem sentido, sofrer não perde seu drama, mas é suportável. Fixos em vossa luz, as trevas não nos podem obscurecer. Fortalecei em nós os passos. Dai-nos romper as barreiras em vosso amor. Curai-nos do desânimo. Amém!

--
P.e Maikel P. Dalbem, C.Ss.R.

P.S.: Obrigado às amigas Graça e Diana pelas ressonâncias. Sigamos caminhando. Querendo deixar seu recado, é só postar aqui no blog ou escrever para dalbemcssr@gmail.com

Um comentário:

  1. Em perceber que o caminho tem sentido,junto às belezas que Deus nos oferece a cada amanhecer, sinto-me extremamente fortalecida na minha fé, na minha caminhada e principalmente em estar com os que hoje dependem de mim.Rogo a Ele que devolva-nos a serenidade desgastada, a sabedoria aplicada a cada dia, e nos renove a certeza de que Ele está sempre conosco para que o desânimo não nos domine.
    Obrigada...Que Sto Afonso seja uma de suas inspirações!Abraços!!!

    ResponderExcluir